" HÁ UM DITADO POPULAR QUE DIZ: MELHOR É PARA QUEM RI POR ÚLTIMO, E PARA NÓS CRISTÃOS CREIO QUE ESTE DITADO SE ENCAIXA TAL QUAL UM PROVÉRBIO QUE NOS FORTALECE NA ESPERANÇA DO PORVIR EM CRISTO. " - Segunda Feira

23/11/2015 10:20
CONVERTENDO ALEGRIA EM TRISTEZA
“Afligi-vos, lamentai e chorai. Converta-se o vosso riso em pranto, e a vossa alegria, em tristeza”
Tg 4.9
 
Tiago coloca a questão da alegria de ponta cabeça. Dirige-se aos ricos que retêm com fraude o salário dos trabalhadores. Denuncia os que ajuntam riquezas de forma ilícita e acumulam o que deveria estar nas mãos dos trabalhadores. A riqueza é uma bênção quando granjeada com honestidade, porém, como resultado do crime é uma maldição. Os bens acumulados desonestamente tornam-se combustível para a destruição daqueles que os ajuntam.
É a esses ricos avarentos que Tiago se dirige. É essa máfia de colarinho branco que ele denuncia. Em vez de rasgarem a cara em gargalhadas altivas pelas vantagens que auferem, saqueando o pobre, os ricos desonestos deveriam se afligir e lamentar. Em vez de, orgulhosamente, esboçarem um riso de orelha a orelha, deveriam se entregar ao pranto e cobrirem-se com o pano de saco da tristeza. O pecado é uma tragédia, mas alegrar-se nele é o fundo do poço. O pecado é maligníssimo, mas contar vantagem por causa dele é a essência do mal.
Cometer injustiça é uma insanidade, mas alegrar-se na injustiça é a degradação mais vil. A única esperança para aqueles que se encastelam no poder e se blindam com as riquezas mal adquiridas é o arrependimento sincero, a restituição do que foi roubado e a volta para Deus de todo o coração.
Referência para leitura: Tiago 4.7-11

RÁDIO JESUS A VIDA


Clique no player para ouvir.
Jesus a Vida

contador de usuarios online

VISITAS / ACESSOS        

                    
              DESDE   
                      
 
          A FUNDAÇÃO                   
       
      VISITAS/ACESSOS  
 
    1.928.847

Contato

Pastor Elio Loiola São Paulo Brasil

55(19) 982-276-340 - Whats App

soemcristohavida@gmail.com