" TODAS AS COISAS EU POSSO FAZER, PORÉM NEM TODAS TRARÃO BENEFÍCIOS PARA A MINHA VIDA, AO CONTRÁRIO, EM SUA MAIORIA TRARÃO MALEFÍCIOS COM CONSEQUÊNCIAS PERPÉTUAS E ATÉ ETERNAS " - Parte 1

11/03/2014 11:20

Jovens : O que tem de mal “fazer” se nos amamos e vamos nos casar? 

Parte 1

Porque os jovens cristãos não praticam o sexo antes do casamento?

O que tem de mal fazer se nos amamos e vamos nos casar?

Você soube o que aconteceu com Roberto e Patrícia? Começaram a namorar, mas isso não é tudo, ele a traz em sua casa para dormir quase todo os dias. Claro que seus pais estão lá, mas no princípio era só aos sábados, depois todo o fim de semana, e ultimamente “convivem” juntos….

Os país de Paty dizem que já estão grandinhos, que não tem nada de mal que ela durma em sua casa, que se estão juntos é por que se amam e “não são hipócritas”. Mas a mãe de Roberto está preocupada:” Antes pelo menos, ela se instalava no quarto de hospedes, agora dormem juntos”. Outro dia me chamou a mãe da menina, pois haviam ido passar o final de semana fora, sem avisar e nenhumas das mães sabiam onde estavam.

Talvez para alguns, esse exemplo se assemelhe mais a exceções do que a regras. Outros podem ter se identificado com a situação. De todos os modos, o caso (que é real) se torna útil para esclarecer conceitos da sociedade e o que diz a Bíblia a respeito. “Viver o hoje” é um fato cotidiano que traz opiniões adversas e controversas.

Atualmente, entrar na adolescência é ter independência sexual. Porém a relação sexual é ou deveria ser, uma consequência de outros crescimentos e responsabilidades. A realidade é que ele ou ela estão moldando sua personalidade, estudam, trabalham, fazem projetos para o futuro, se amam, se tornam um casal de namorados estável e chegam ao ato sexual. Parece que o sexo é somente mais uma opção dentre tantas outras escolhas à tanta liberdade.

Mas isso é paradoxo. Se um casal de namorados mantém relações sexuais para estabelecer uma suposta independência motivada consciente ou inconsciente pela família, por dizer e demonstrar que ele ou ela já estão grandinhos e fazem o que bem entender, ou simplesmente chegam a conclusão porque isso “os mantém unidos”, então chegamos à conclusão que não é independência mas sim dependência.

Os namorados podem usar sua sexualidade para tratar de expressar: “Olha o que faço, estou te machucando com isso?”. A intenção não é mortificar ou ferir de propósito seus pais. Tratam de impor, invadir, romper com violência o terreno dos adultos: música alta, “exclusividade” no telefone, no banho, ter a última palavra em discussões, e manter abertamente relações sexuais é uma outra forma de demonstrar aos demais que é independente, que sabe todas as coisas …Porém no fundo, estão buscando um freio, um limite, saber até onde podem chegar.

Então, o sexo não é uma escolha livre, independente; ao contrário: encobre insegurança, desconcerto, queixa contra a atitude familiar, evidencia que ainda não está capacitado para viver de maneira independente.

Os pais modernos que dizem “seja livre”, transmitem uma mensagem confusa. Na realidade não pensam no que dizem. Como a maioria deles tiveram uma adolescência bastante ruim, tratam de passar bem com seus filhos essa fase, e de alguma maneira os incentivam (ainda mais) provocando-os ao sexo livre. Depois se arrependem e tratam de colocar um freio. Tarde demais….

RÁDIO JESUS A VIDA


Clique no player para ouvir.
Jesus a Vida

contador de usuarios online

VISITAS / ACESSOS        

                    
              DESDE   
                      
 
          A FUNDAÇÃO                   
       
      VISITAS/ACESSOS  
 
    1.928.847

Contato

Pastor Elio Loiola São Paulo Brasil

55(19) 982-276-340 - Whats App

soemcristohavida@gmail.com