" JOVENS DILIGENTES RECONHECENDO O VERDADEIRO VALOR DO SEXO À LUZ DA BÍBLIA " - Parte 5

16/07/2012 11:14

 

O CRISTÃO,O SEXO  E O SEU REAL PROPÓSITO- Parte 5
 
 
ABERRAÇÕES SEXUAIS
 
A homossexualidade deve merecer a atenção profilática e terapêutica da Igreja tanto para evitar o homossexualismo como para reverter o quadro dos que o praticam, vítimas de distorções culturais, sociais, educacionais, de distúrbios psíquicos da libido e de desvios genéticos na sexualidade.
 
As aberrações sexuais, no entanto, são absolutamente injustificáveis, deploráveis, abomináveis e incompatíveis com a ética cristã, com a dignidade e a honra dos regenerados.
 
O homossexualismo desavergonhado e todas as torpes, ignóbeis e devassas aberrações sexuais nos são repugnantes, indesejáveis e inassimiláveis em virtude de não sermos do mundo nem amarmos as coisas da carne.
 
Topoinversão: prática sexual fora das genitálias ou uso indevido dos órgãos sexuais como: Sexo oral ( felação e cunilíngua), sexo anal e outros.
 
Sodomia: Homossexualismo ativo e passivo; bestialismo; sadismo e sadomasoquismo.
Triolismo: Prática sexual a três: dois homens-uma mulher; duas mulheres-um homem.
 
Sadismo: Prazer pelo sofrimento do parceiro(a). Este termo vem do nome do Marquês de Sade (1770- 1818). Ele afirmava que a volúpia sexual intensifica-se sob estado de posse e dominação. O dominante sente prazer e gozo no sofrimento do dominado, imobilizado, mordido, beliscado e espancado. O sadismo tem sido denominado também de algolagnia ativa( Grego: algo=dor; lagneia=devassidão) e flagelantismo: auto ou heteroflagelação. É uma herança do sexo sagrado do paganismo.
 
Masoquismo( algolagnia passiva): Prazer em ser dominado sexualmente, submetido a sofrimentos físicos pelo dominador sexual.
 
Sadomasoquismo: Portador de sadismo e masoquismo: receber e produzir sofrimento durante o ato sexual.
 
Necrofilia: Atração sexual por cadáveres. O necrófilo é, sem dúvida, um psicopata.
 
Zoofilia: Prática sexual com animais, especialmente cães domésticos.
A zoofilia tem sido causa de muitas doenças sexualmente transmissíveis, inclusive a AIDs.
 
Pedofilia: Preferência sexual por crianças. A pedofilia foi prática comum no mundo Greco-romano, e entre povos primitivos como os de Guiné e os das ilhas da Melanésia( ver Spencer, Colin, em “Homossexualidade”, Ed. Record, RJ, 1995).
 
As aberrações sexuais desqualificam, aviltam e degradam o ser humano, ofendem o Criador e desrespeitam, de maneira frontal e recalcitrante, as Escrituras Sagradas, destinadas à condução, disciplina e salvação dos homens.
 
A BÍBLIA CONDENA OS DESVIOS E AS ABERRAÇÕES SEXUAIS
 
A Palavra de Deus, absolutamente autoritativa e normativa para os cristãos, condena veementemente os desvirtuamentos e as aberrações sexuais:
 
O travestismo: “A mulher não usará roupa de homem, nem o homem veste peculiar à da mulher; porque qualquer que faz tais coisas é abominável ao Senhor teu Deus”( Dt 22.5).
 
Aqui não se trata simplesmente da proibição de indumentária unissex, mesmo porque,
neste período da história, a diferença entre a veste masculina e a feminina era pequena.
 
O mandamento procurava evitar a confusão dos sexos, o homossexualismo expresso não somente nos trejeitos efeminados ou masculinizados mas, e principalmente, no travestismo
sexual, muito popular nos antigos povos: Babilônia, China, Egito, caananitas. Amenotep III, aparece, depois de velho, retratado em trajes femininos cercado de súditos.
 
O homossexualismo, vejam o caso de Sodoma e Gomorra( Gn 19), produz, por via de conseqüência, o travestismo. Homens, especialmente jovens, que serviam de mulheres para outros, “atraíam” seus clientes, usando trajes femininos.
 
O povo eleito conviveu com todas essas culturas na origem e, principalmente no êxodo e na dispersão: “Não andeis nos costumes da gente que eu lanço fora de diante de vós, porque fizeram todas estas coisas; por isso me aborreci deles”( Lv 20.23).
Pela proibição mencionada, fica igualmente impedido o lesbianismo, embora não se
tenha registros claros de homossexualidade feminina no mundo circundante de onde procedeu Israel e nas civilizações que lhe influenciaram a cultura. Isto se deve, certamente, ao fato de a mulher ser muito reprimida.
 
Pederastia: “Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticam coisa abominável; serão mortos; o seu sangue cairá sobre eles”( Lv 20.13 cf Lv 18.22). Deus não admite pederastia ou sodomismo no seu povo, separado para ser
diferente em comportamento e fé dos irregenerados.
 
Zoofilia: “Nem te deitarás com animal, para te contaminares com ele, nem a mulher se porá perante um animal, para ajuntar-se com ele: é confusão”( Lv 18.23 cf Ex 22.19). A zoofilia era comum no mundo antigo( Lv 18.24,27), mas aberra a natureza humana e os desígnios de
Deus. Segundo os autores de “Sexo com Responsabilidade”: “É também comum a manifestação do bestialismo(zoofilia) em que mulheres buscam, através de cães pequenos, a masturbação vulvar”( Obra citada, pág. 254, § 950).
 
Longe de nós tais podridões morais.
 
Outras aberrações: “Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos, e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis. Por isso Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seus próprios corações, para desonrarem os seus corpos entre si; pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura, em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente, Amém.
Por causa disso os entregou Deus a paixões infames; porque até as suas mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas, por outro contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo em si mesmos a merecida punição do seu erro”( Rm 1.22-27).
 
Paulo, no texto transcrito, mostra que a matriz de todos os pecados, inclusive os sexuais, é o adultério espiritual consciente: rebeldia contra Deus, desobediência, irreverência, desrespeito, idolatria, carnalidade, egocentrismo.
Ele faz um retrato da sociedade mundana de sua época que, sem retoque, é a imagem quase perfeita da atual. Esperamos que a Igreja de hoje seja idêntica à de seu tempo: fiel a Cristo, firme na fé e na doutrina, norteada pelas Escrituras, irmanada pela graça, unida pelo amor, conduzida pelo Espírito, consagrada ao Redentor.
 
A sociedade grego-romana estava moralmente necrosada:
 
Sócrates e Platão, dentre outros, praticavam aberta e escandalosamente a pedofilia( Barclay, William, em “As Obras da Carne e o Fruto do Espírito”, Ed. Vida Nova, 1985, SP, págs. 27/28).
Os imperadores, a maioria, eram sexualmente corruptos.
Nero casou-se com seu escravo castrado Esporo para quem servia de homem. Depois, casou-se com o liberto Daríforo, para quem servia de mulher.
 
Júlio César era amante passivo(exoleti) de Nicomedes, rei da Bitínia. Foi um bissexual popularíssimo. Dele se dizia: “Mulher de todos os homens; homem de todas as mulheres” ( omnium virorum mulier, omnium mulierum virum).
 
Calígula foi imundo pedofilista(Spencer, Colin, Homossexualidade, Ed. Record, págs. 72/73).

Contato

Pastor Elio Loiola São Paulo Brasil

55(19) 982-276-340 - Whats App

soemcristohavida@gmail.com